Top 20 Meltzer’s High Rated Wrestlers – Part 4

5º: AJ Styles (119,5 stars/5 star matches: 1)

aj_styles_png_2017_by_antonixo02-db1fxza

Quando AJ Styles deixou a TNA em 2013, era impossível dizer para onde sua carreira seguiria. Algum tempo depois, ele chegaria à New Japan, juntaria-se ao Bullet Club e tornaria-se campeão mundial pela companhia. Styles se estabeleceria como um dos maiores wrestlers do mundo. Esse fato, é claro, chamou a atenção da WWE, à qual Styles ingressou em 2016. Lá, novamente, ele quebraria barreiras e também se tornaria campeão mundial, além de ter uma série de encontros memoráveis com John Cena, em verdadeiras dream matches. Afinal, qual é o próximo passo do Phenomenal One?

When AJ Styles left TNA in 2013, it was impossible to tell where his career would go. Some time later, he would arrive in New Japan, join the Bullet Club and become a world champion for the promotion. Styles would establish himself as one of the greatest wrestlers in the world. This , of course, caught the attention of WWE, which Styles joined in 2016. There, again, he would break barriers and become a world champion as well as having a series of memorable bouts with John Cena in true dream matches. After all, what is the Phenomenal One’s next step?


4º: Kenta Kobashi (128 stars/5 star matches: 9)

kobashinew

Kobashi é um daqueles talentos que aparecem uma vez em uma vida. Certo, talvez não. A realidade é que, justamente por ter aparecido outro sujeito ao lado dele tão bom quanto, é que o mundo do professional wrestling teve a oportunidade de contemplar a melhor rivalidade dentro do ringue de todos os tempos. Misawa vs Kobashi é algo de outro mundo. Algo obrigatório a qualquer fã.

Kobashi is one of those talents that appear once in a lifetime. Okay, maybe not. The reality is that there was another guy as good as him that shared the ring with him multiple times and, because of that, the world of professional wrestling had the opportunity to contemplate the best in ring feud of all time. Misawa vs. Kobashi is something out of this world. Something compulsory for any fan.


3º: Hiroshi Tanashi (135,75 stars/5 star matches: 6)

r6qruc6

Tanahashi foi o ace da New Japan por um longo tempo até que Okada assumiu esse papel. Isso significa que ele esteve no topo por muitos anos, enfrentando os melhores da indústria. Mas, crédito seja devido, Tanahashi é um talento incrível. Ele foi creditado como o japonês John Cena, principalmente por causa de seu carisma e potencial. Tanahashi é ainda mais do que isso. Mesmo nos últimos anos, onde ele está sendo removido lentamente do main event status, o Ace produziu ótimas performances. Talvez, Tanahashi esteja se aposentando em breve, mas, com certeza, vai deixar saudades.

Tanahashi was the ace of New Japan for a long time until Okada took that role. This means he’s been on top for many years facing the best in the business. But, credit is due, Tanahashi is an amazing talent. He’s been credited as the japanese John Cena, mainly because of his charisma and star quality. Tanahashi is even more than that. Even on recent years where he’s being slowly removed from the main event status, the Ace produced some great matches. Maybe, Tanahashi is retiring soon, but, for sure, we will remeber him.


2º: Mitsuharu Misawa (149 stars/5 star matches: 13 + a 6 star match)

misawa

Se você já viu uma luta de Misawa, você sabe exatamente por que o cara está aqui. Ninguém na história tem mais lutas de 5 estrelas do que ele e isso significa que Misawa pode muito bem ser o maior wrestler de todos os tempos. Sua primeira luta de 5 estrelas veio em 1985 quando enfrentou Kuniaki Kobayashi como Tiger Mask II. Em 1994, enfrentou Toshiaki Kawada na primeira partida de 6 estrelas da história. Em 2003, enfrentou Kenta Kobashi em sua última luta de 5 estrelas para fechar uma rivalidade lendária e uma carreira lendária. Ele ainda lutaria por mais cinco anos até sua morte em 2009, logo após uma luta. Alguns afirmam que foi um golpe de wrestling que levou à sua morte, mas sua família não permitiu que a verdadeira causa fosse revelada ao público. Se isso for verdade, foi um fim romântico para a carreira de um dos maiores lutadores de todos os tempos.

If you ever saw a Misawa match you know exactly why the guy is here. Nobody is history has more 5 star matches than him and that means that Misawa may well be the greatest wrestler of all time. His first 5 star match came in 1985 when he wrestled Kuniaki Kobayashi as Tiger Mask II. In 1994 he faced Toshiaki Kawada in the first ever 6 star match. In 2003 he faced Kenta Kobashi on his last 5 star match to close a legendary feud and a legendary career. He would still wrestle for another five years until his death in 2009, just after a match. Some claim it was a wrestling move that lead to his death, but his family didn’t allowed the real cause to be revealed to the public. If that is true, it was a romantic end to the career of one of the greatest wrestlers of all time.


1º: Kazuchika Okada (153 stars/5 star matches: 5 + a 6 star match + a 6,25 match)

okada_en-352x528

Foi apenas recentemente que Okada superou Misawa no número de estrelas consideradas neste ranking. Mas, o fato é que o cara tem apenas 29 anos. Ele nem sequer está no pico de sua carreira e, provavelmente, tem pelo menos uma boa década à frente dele no topo da promoção. Este ano, ele ainda tem todo um torneio G1 Climax à frente dele. Você pode esperar, pelo menos, duas lutas de cinco estrelas dele. Bem, ainda mais se você considerar que uma de suas lutas é contra Kenny Omega, um cara que ele já enfrentou duas vezes este ano para duas lutas com mais de 6 estrelas. É assustador pensar o que esse cara vai realizar até o final de sua carreira. Deus ajude que ele nunca vá para a WWE.

It was only recently that Okada surpassed Misawa in the number of stars considered in this ranking. But, the thing is, the guy is only 29. He’s not even on him prime and, probably, has at least a good decade ahead of him as the face of the promotion. This year, he still have an entire G1 Climax tournament ahead of him. You can expect, at least, two five star matches out of him. Well, even more if you consider that one of his bouts is against Kenny Omega, a guy he already faced twice this year for two 6+ star matches. It’s scary just to think what this guy will accomplish until the very end of his career. God helps he never gets to WWE though.


Esse ranking foi feito com as notas concedidas até o final do primeiro semestre de 2017.

This ranking was made with the ratings awarded until the end of the first half of 2017.

Fonte/Source: http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1

Top 20 Meltzer’s High Rated Wrestlers – Part 3

10º: Jushin Liger (83 stars/5 star matches: 1)

jushin-thunder-liger-psd65282

O maior junior heavyweight de todos os tempos ocupa sua posição merecida nessa lista. Lutas lendárias contra El Samurai, Ultimo Dragon e Chris Benoit são apenas alguns exemplos do talento de Liger. Chega a ser estranho olhar para esse sujeito estranho, vestido de super-herói japonês e ver o que ele já foi capaz de fazer no ringue. Infelizmente, Liger já está no fim da linha, então não espera muito mais do lendário wrestler.

The greatest junior heavyweight of all time takes his well deserved spot in this list. His legendary matches against the likes of El Samurai, Ultimo Dragon and Chris Benoit are just a few examples of Liger’s talent. It’s even strange to look at this weird guy dressed as a Japanese superhero and see what he’s already been able to do in the ring. Unfortunately, Liger is already at the end of the line, so do not expect much more from this legendary wrestler.


9º: Shinsuke Nakamura (83,25 stars/5 star matches: 2)

shinsuke_nakamura_2017_png_by_ambriegnsasylum16-dazbfhh

Nakamura apenas começou sua caminhada na WWE, mas sua jornada no mundo do professional wrestling não é nova. Antes de chegar na terra do Tio Vince, ele fez questão de deixar saudades na New Japan. Combates contra AJ Styles e Kota Ibushi são lembrados como suas maiores conquistas. No caso do Phenomenal One, há ainda aquele ligeira esperança de ver esses dois no topo da Wrestlemania.

Nakamura just started his path in WWE, but his journey into the world of professional wrestling is not new. Before arriving in the land of Uncle Vince, he made sure that New Japan fans would miss him. The bouts against AJ Styles and Kota Ibushi are remembered as his greatest achievements. In the case of the Phenomenal One, there is still that slight hope of seeing these two main eventing Wrestlemania.


8º: Shawn Michaels (83,75 stars/5 star matches: 2)

shawn-michaels-download-png

Shawn Michaels é tido por muitos como o maior wrestler da história da WWE. Sua história na companhia pode ser divida em duas partes. A primeira, nos anos 90, viu HBK se estabelecer como o principal ativo da companhia, conquistando o título por múltiplas vezes e liderando, junto com Bret Hart, um roster que carecia de talentos. Essa passagem, no entanto, foi interrompida por uma lesão que, teoricamente, terminaria com sua carreira em 1998. Surpreendentemente, Michaels retornou aos ringues quatro anos depois. Ele conquistaria o título mundial uma vez, mas essa não seria sua maior conquista. O Heartbreak Kid teria uma série de lutas memoráveis, ainda melhores que a de sua primeira passagem. E isso durou até o fim. Sua última luta contra The Undertaker ainda é tida por muitas como a melhor de sua carreira. Há rumores de que Michaels ainda poderia voltar para o ringue mais uma vez para enfrentar alguém como AJ Styles. Alguém dúvida que isso poderia ser fantástico?

Shawn Michaels is considered by many to be the greatest wrestler in WWE history. His professional history in the company can be divided in two moments. The first in the 90s saw HBK establish himself as the company’s main asset, winning the main title multiple times and leading, along with Bret Hart, a roster that lacked talent. This passage, however, was interrupted by an injury that would theoretically end his career in 1998. Surprisingly, Michaels returned to the ring four years later. He would win the world title once, but that would not be his greatest achievement. The Heartbreak Kid would have a series of memorable bouts, even better than those in his first run. And it lasted to the end. His last match against The Undertaker is still considered by many to be the best of his career. There are rumors that Michaels could still return to the ring one more time to face someone like AJ Styles. Anyone doubt that this could be fantastic?


7º: Tomohiro Ishii (102,75 stars/5 star matches: 3)

ishii_en

Ishii é, provavelmente, um dos wrestlers menos valorizados dessa geração. Apesar de um número inacreditável da performances memoráveis, o Stone Pitbull parece nunca levar o crédito. Enquanto seus adversários são apontados como sérios candidatos para melhor wrestler do mundo, Ishii fica em segundo plano. São três ou quatro anos de inacreditáveis batalhas contra Naito e Omega, Shibata e Goto. Ishii consegue entregas uma luta quatro estrelas mesmo contra o pior dos oponentes. Talvez daqui a alguns anos ele seja, finalmente, encarado como deve: como um dos melhores de todos os tempos.

Ishii is probably one of the most underrated wrestlers of this generation. Despite an unbelievable number of memorable performances, the Stone Pitbull never seems to take the credit. While his opponents are appointed as serious candidates for the best wrestler in the world award, Ishii never seems to share the spotlight. There have benn three or four years of incredible battles against Naito and Omega, Shibata and Goto. Ishii manages to deliver a four-star match even against the worst of the opponents. Maybe in a few years he will be finally looked at as he should: as one of the greatest of all time.


6º: Toshiaki Kawada (104,75 stars/5 star matches: 6 + a 6 star match)

kawadamain

Kawada veio de uma geração interessante. Ao dividir o ringue com Mitsuharu Misawa, Kenta Kobashi e outras inúmeras lenda, ele foi capaz de participar em algumas das maiores lutas de todos os tempos. Mas, crédito seja devido, ninguém consegue chegar ao topo simplesmente por estar no lugar certo e na hora certa. Kawada talvez tenha sido o Ishii de sua geração e ficado à sombra de Misawa e Kobashi, mas seu talento, visto sob a ótica de hoje, é indubitável.

Kawada came from an interesting generation. By sharing the ring with Mitsuharu Misawa, Kenta Kobashi and other legends, he was able to participate in some of the greatest matches of all time. But, credit is due, no one can get to the top simply by being in the right place at the right time. Kawada may have been the Ishii of his generation and remained in the shadow of Misawa and Kobashi, but his talent, seen from today’s perspective, is undeniable.


Esse ranking foi feito com as notas concedidas até o final do primeiro semestre de 2017.

This ranking was made with the ratings awarded until the end of the first half of 2017.

Fonte/Source: http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1

Top 20 Meltzer’s High Rated Wrestlers – Part 2

15º: KUSHIDA (68,75 stars/5 star matches: 1)

kushida_en-352x528

Um dos melhores junior heavyweights de sua geração, KUSHIDA tem se destacado por alguns embates contra wrestlers como Will Ospreay e Hiromu Takahashi. Membro da melhor divisão junior do mundo, o Time Splitter continua a oferecer uma série de lutas bastante excitantes cada vez que entra no ringue.

One of the best junior heavyweights of his generation, KUSHIDA has been stood out thanks to his battles against the likes of Will Ospreay and Hiromu Takahashi. A member of the best junior division in the world, the Time Splitter continues to offer a number of exciting bouts every time it enters the ring.


14º: Tetsuya Naito (69,25 stars/5 star matches: 2)

ci_99174_1484108320

Sem dúvidas, essa lista evidencia o talento presente no roster da New Japan atualmente. Naito é mais uma estrela criada pela companhia japonese. O líder de Los Ingobernables del Japon conseguiu, por meio de uma mudança de atitude, se transformar em um dos maiores wrestlers do planeta. Naito é o atual favorito a vencer o G1 Climax e enfrentar Okada no Tokyo Dome ano que vem. Alguma dúvidas de que venham mais algumas estrelas por aí?

Undoubtedly, this list evidences the talent present in the New Japan roster today. Naito is another star created by the japanese promotion. The leader of Los Ingobernables del Japon was able, through a change of attitude, to become one of the greatest wrestlers of the planet. Naito is the current favorite to win the G1 Climax and face Okada at Tokyo Dome next year. Any doubts that there are some more stars out there?


13º: KENTA (73,25 stars/5 star matches: 0)

hideo-itami

Hideo Itami talvez ainda não tenha mostrado todo o seu potencial no NXT, mas há uma razão por trás toda a badalação de sua contratação. O principal prodígio de Kenta Kobashi beneficiou-se bastante em dividir o ringue com seu mentor, mas seu talento, de fato vai além disso. Se algum dia ele alcançará o mesmo sucesso na WWE, só o tempo poderá dizer.

Hideo Itami may not yet have shown all his potential in NXT, but there is a reason behind all the hustle and bustle of his hiring. The main prodigy of Kenta Kobashi has greatly benefited from sharing the ring with his mentor, but his talent actually goes beyond that. If someday he will achieve the same success in WWE, only time can tell.


12º: Young Bucks (73,75 stars/5 star matches: 1)

young_bucks_png_by_ryancho-db5t76q

Nick e Matt Jackson formam a melhor dupla do mundo atualmente, e contra isso não há argumentos. Que eles tem se estabelecido como uma das maiores da histórias parece ter ficado cada vez mais claro. Em constante ascensão desde sua chegada na New Japan e sua entrada no Bullet Club, os dois membros da The Elite vão continuar entregando até que nos cansemos deles, algo que não vai acontecer tão cedo.

Nick and Matt Jackson are the best tag team in the world today, and against that there are no arguments. That they have established themselves as one of the greatest teams of the history seems to have become increasingly clear. They’ve only grown since they arrived in New Japan and joined the Bullet Club. The two members of The Elite will continue to deliver until we get tired of them, something that will not happen anytime soon.


11º: Chris Benoit (78,75 stars/5 star matches: 1)

chris_benoit_2004_png_2_by_ambriegnsasylum16-daoxpgw

A forma como a vida de Chris Benoit nos impede, muitas vezes, de valorizar o trabalho de um dos maiores wrestlers de todos os tempos. Chris era um perfeccionista, ele se preocupava com cada spot e, por isso, cada luta parecia especial. Seja nos seus combates épicos no Japão contra sujeitos como Jushin Liger e Great Sasuke, seja suas lutas contra Kurt Angle e Chris Jericho, o Wild Pegasus sempre deu o melhor de si. Uma pena que, no final, o preço a ser pago fosse tão grande.

The way Chris Benoit’s life ended often prevents us from valuing the work of one of the greatest wrestlers of all time. Chris was a perfectionist, he cared about every spot and so every fight seemed special. Be it in his epic bouts in Japan against guys like Jushin Liger and Great Sasuke, be it his matches against Kurt Angle and Chris Jericho, the Wild Pegasus has always done its best. It’s a pity that, in the end, the price to be paid was so big.


Esse ranking foi feito com as notas concedidas até o final do primeiro semestre de 2017.

This ranking was made with the ratings awarded until the end of the first half of 2017.

Fonte/Source: http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1

Top 20 Meltzer’s High Rated Wrestlers – Part 1

Quando o Tiger Mask original e Dynamite Kid se enfrentaram no Sumo Hall em 1983, poucos sabiam, mas aquela luta entraria para a história como a primeira entre muitas a receber o 5 Star Rating do jornalista Dave Meltzer. Desde então, a honra foi concedida em algumas ocasiões. Essas ainda são raras, no entanto, quando considerada a quantidade de lutas que se tem todos os anos no mundo do professional wrestling.

O ano de 2017 tem se destacado pelo alto nível das lutas.  Até então, três lutas já receberam a honraria das 5 estrelas, com outras lutas alcançando 6 (algo que havia acontecido apenas uma vez, em 1994) e 6,25 (pela primeira vez na história). E estamos apenas no primeiro semestre.

Mas, afinal de contas, quem é o sujeito melhor avaliado por Meltzer na história? Contabilizamos aqui a soma das estrelas que cada wrestler recebeu, considerando apenas a nota de 4,5 estrelas ou mais. A mera participação em uma luta desse calibre habilitou ao atleta ganhar as estrelas, sendo que o número de lutas cinco estrelas serviu como critério de desempate. Essa lista compila os vinte maiores receptáculos desde 83. A questão é: ela poderia ser confundida, também, com a lista de melhores wrestlers de todos os tempos?


When the original Tiger Mask and the Dynamite Kid met in Sumo Hall in 1983, few people knew, but that match would go down in history as the first among many to receive the 5 Star Rating from journalist Dave Meltzer. Since then, this honor has been granted only on a few occasions. Those are still rare, however, considering the amount of matches we have every year in the world of professional wrestling.

The year 2017 has stood out by the high level of the wrestling. So far, three matches have received the five stars honor, with other matches reaching 6 (something that had happened only once in 1994) and 6.25 stars(for the first time in history). And we are only in the first semester.

But who, after all, is Metzer’s best well rated wrestler in history? We counted here the sum of the stars that each wrestler received, considering only the 4.5+ stars rating. The mere participation in a matches of this caliber enabled the athlete to win the stars, and the number of five-star matches served as a tiebreaker. This list compiles the twenty best receptacles since ’83. The question is: could it be confused, too, with the list of the best wrestlers of all time?


20º: Seth Rollins (63,5 stars/5 star matches: 0)

seth_rollins_raw_2016_png_by_ambriegnsasylum16-dasne52Impulsionado por uma série de boas lutas na ROH, o antigo Tyler Black mantém uma boa média em sua carreira na WWE, sendo um dos mais bem avaliados wrestlers da companhia. Ainda relativamente jovem, a tendência é que Rollins continue subindo nos rankings pelos próximos anos.

Boosted by a number of good matches at ROH, the former Tyler Black maintains a good level in WWE, being one of the company’s best rated wrestlers. Still relatively young, the trend is for Rollins to continue to rise in the rankings for the next few years.


19º: Kenny Omega (63,75 stars/5 star matches: 1 + a 6 star match + a 6,25 star match)

kenny_en-2

Se alguém tem tido um ano espetacular em 2017, esse alguém é Kenny Omega . Suas lutas contra Kazuchika Okada já quebraram todos os recordes possíveis e já são consideradas por muitos como as melhores de todos os tempos. Kenny está apenas começando, e é excitante pensar no que ele ainda pode oferecer para a indústria. E como um G1 Climax inteiro na frente dele, a tendência é que, até o final do ano, ele esteja em uma posição muito melhor nesse ranking.

If anyone has had a spectacular year in 2017, that is Kenny Omega. His matches against Kazuchika Okada have already broken all the possible records and are already considered by many to be the best of all time. Kenny is just getting started, and it’s exciting to think about what he can still offer to the industry. And with a whole G1 Climax in front of him, the trend is that by the end of the year he will be in a much better position in this ranking.


18º: Daniel Bryan (64 stars/5 star matches: 0)

daniel-bryan-png-pic

É difícil encontrar palavras para descrever Daniel Bryan. A impressão que fica, é que o Yes Man teve uma carreira tão meteórica que é injusto que tenha acabado tão cedo. Quebrar todas as barreiras para se tornar campeão da WWE foi apenas mais uma das conquistas de Bryan que coleciona, ao longo de sua carreira, uma série de embates memoráveis. O próprio Bryan já deixou bem claro que gostaria de voltar ao ringue um dia, então, quem sabe, nós ainda possamos ter a honra de prestigiar o American Dragon uma vez mais.

It is hard to find words to describe Daniel Bryan. The impression is that the Yes Man has had such a meteoric career that it is unfair that it is over so soon. Breaking all the barriers to becoming WWE champion was just one more of Bryan’s achievements, he who collected, throughout his career, a series of memorable clashes. Bryan himself has made it clear that he would like to return to the ring one day, so maybe we can still have the honor of seeing the American Dragon once more.


17º: John Cena (68,5 stars/ 5 star matches: 1)

john-cena-transparent-png

Amado por muitos e odiado por muitos outros, John Cena é uma das figuras mais polêmicas da história do wrestling. Uma coisa, no entanto, é inegável: com o oponente certo, Cena sempre foi capaz de entregar lutas inesquecíveis. Seus últimos embates com AJ Styles, sobretudo, foram memoráveis, e é bem possível que Big Money John ainda tenha alguma lenha pra queimar nesses seus anos finais.

Loved by many and hated by many others, John Cena is one of the most controversial figures in the history of wrestling. One thing, however, is undeniable: with the right opponent, Cena has always been able to deliver unforgettable matches. His last bouts with AJ Styles, above all, were memorable, and it is quite possible that Big Money John still has some fight left in him in these final years of his career.


16º: Naomichi Marufuji (68,75 stars/5 star matches: 0)

naomichi_marufuji____2___ogaul_by_ogaul-dbau15nPassando a maior parte de sua carreira em Pro Wrestling NOAH, Marufuji é um dos wrestlers menos badalados dessa lista. Isso, no entanto, não tira nada de seu mérito. Recentemente, ele participou do G1 Climax e desafiou Okada pelo IWGP Championship. Marufuji não é mais um garoto, mas ainda pode entregar muito em grandes lutas.

Spending most of his career in Pro Wrestling NOAH, Marufuji is one of the least popular wrestlers on the list. This, however, does not take away anything of its merit. Recently, he participated in the G1 Climax and challenged Okada for the IWGP Championship. Marufuji is no longer a boy, but still can deliver big in great matches.


Esse ranking foi feito com as notas concedidas até o final do primeiro semestre de 2017.

This ranking was made with the ratings awarded until the end of the first half of 2017.

Fonte/Source: http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1

 

Review – 13 Reasons Why

Hannah Baker entra na banheira, ainda vestida. Ela se deita, a água batendo à altura dos ombros. Ela pondera sobre se o que está prestes a fazer vai valer a pena. Ela hesita por um momento. Com medo, talvez? Finalmente ela pega a lâmina e leva em direção ao pulso. Quando a carne se corta, o sangue jorra. Ela grita. A respiração se torna profunda. É possível sentir sua dor. Ainda assim, ela reúne forças para cortar o outro pulso. Ela repete o mesmo processo. Ela deixa que ambas as mãos caiam dentro da água. A respiração dela vai perdendo força enquanto a água da banheira, lentamente, se tinge de vermelho.

Talvez essa cena, por si só, não represente muita coisa, mas depois de ouvir as treze razões de Hannah, a dor que ela evoca é praticamente insuportável. As mãos de quem assiste procuram um lugar para se posicionar. Talvez à frente da boca para calar algum possível grito involuntário que possa escapar?

A grande verdade é que a história de Hannah Baker vai para dos cinquenta minutos de cada um dos treze episódios da temporada. Ela é atemporal e pontual ao mesmo tempo. Sua trama pode servir como um retrato social e histórico de uma sociedade onde sobra o ódio e falta a solidariedade. Onde se fala muito nos momentos em que deve-se calar. Onde há silêncio quando mais se precisa de algum reconfortante som.

Seus personagens são quase retratos de uma sociedade doente e de uma geração problemática. Mais de uma vez é possível ouvir, nas entrelinhas da série: “Everybody is so fucked up!”. E é a mais pura verdade. Não há vilões ou herois em 13 Reasons, há pessoas e seus motivos para se comportar da forma como se comportam. A constante luta pela sobrevivência, essa “competição sadia” tão defendida por certos setores da sociedade, impede que as pessoas, de fato, vivam.

Ocultos em suas redes sociais virtuais, mascarando as suas tristezas nos sorrisos de alguma foto tirada em algum paraíso natural, essa geração vive em uma constante negação de suas dores. Mas o ser humano não é uma máquina capaz de selecionar aquilo que é importante e separar do que é prejudicial. A vida é uma equação constante, onde tudo se soma para que as pessoas se tornem o que são. Às vezes o resultado são 13 razões pela qual uma adolescente decide acabar com sua vida.

13 Reasons ainda revela a dificuldade das relações sociais e de como elas podem ser problemáticas. A série mostra que uma simples palavra, dita do modo errado na hora errada para a pessoa errada, pode ser a gota responsável para transbordar uma banheira. Às vezes essa banheira tem sua água misturada ao sangue de uma jovem.

Não se engane. A série não é fácil de assistir. Não é algo que você queira ligar em um fim de semana qualquer para passar o tempo. Não, ela vai tomar seu tempo. Ela vai te jogar de um lado para o outro, te fazer questionar se, em algum momento, você pode ter sido cruel, ainda que não intencionalmente, com alguém. E vai tirar se sono. 13 Reasons deve ser assistida, preferencialmente, naquela noite antes do feriado prolongado. Mas não faça planos, ela vai foder com eles. Mas, no final vai valer a pena. Talvez, depois dos longo período de tristeza e dor, logo após assistir o último episódio e confrontar os demônios presos nos calabouços da sua alma, você encontre, finalmente, 13 razões pelas quais vale a pena viver.

Top 10 Filmes 2016

A temporada de grandes premiações já acabou faz tempo, mas vale a pena revisitar o que rolou de melhor na telona no ano passado.

Essa lista compila os dez melhores títulos lançados no Brasil em 2016, então deve rolar algumas películas ainda do ano anterior. É claro que todos os títulos aqui ficam como sugestão pra quem gosta de cinema da melhor qualidade. Pra quem ainda não viu, faça esse favor a si mesmo.


mv5bnzg4mjm2ndq4mv5bml5banbnxkftztgwmzk3mtgyode-_v1_ux182_cr00182268_al_10º – Finding Dory

A tão esperada sequência de Finding Nemo finalmente chegou e não desapontou. Dessa vez focado na história de Dory (Ellen DeGeneres), o filme da Pixar explorou aspectos divertidos do primeiro filme e transformou-o em uma das histórias mais tristes e cativantes dos últimos anos. Mas é Pixar, então já esperávamos por isso, certo?


mv5bmtuxnjk0ntczmv5bml5banbnxkftztgwnzizmteznze-_v1_uy268_cr00182268_al_9º – Saul Fia

O filme romeno, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro do ano passado é mais uma dessas narrativas inesquecíveis sobre o holocausto. Em Auschiwitz, um prisoneiro se vê em um dilema moral terrível que o faz arriscar a própria vida, e o diretor László Nemes, com sua direção claustrofóbica, faz com que o espectador se sinta dentro do campo de concentração. Uma experiência única, apesar do incômodo causado.


mv5bmjmwotc5mzu2nl5bml5banbnxkftztgwmdkwodizmdi-_v1_ux182_cr00182268_al_8º – Mãe Só Há Uma

Se você assistiu ao excelente Que Horas Ela Volta? conhece muito bem a competência de Anna Muylaert. Entre metáforas visuais e uma narrativa pra lá de transgressora, Anna consegue, mais uma vez, trazer um filme pra lá de brasileiro, cheio de críticas à sociedade atual. Mais um exemplo de qualidade do cinema tupiniquim.


mv5bmtywmzmwmzgxnl5bml5banbnxkftztgwmta0mtuzmdi-_v1_ux182_cr00182268_al_7º – Nocturnal Animals

Amy Adams, Jake Gillenhaal e Michael Shannon lideram o elenco para um dos thriller mais intensos do ano. Com duas histórias em uma, Nocturnal Animals consegue incomodar de inúmeras formas diferentes e é daqueles filmes que gera no espectador um senso de impotência ao contemplar o que acontece na tela e não poder fazer nada.


mv5bmjezmjczotixmv5bml5banbnxkftztgwotuwmji3nze-_v1_ux182_cr00182268_al_6º – 10 Cloverfield Lane

Ao que parece, J. J. Adams é o Midas do cinema contemporâneo. O que essa cara toca, qualquer que seja sua função na produção, torna-se ouro. A sequência do fantástico horror-kaiju Cloverfield é ainda melhor que seu antecessor, apesar de ir por um caminho completamente diferente. Destaque vai para a atuação de John Goodman.


mv5bmja0nja4nje2nl5bml5banbnxkftztgwnzixnty2nje-_v1_ux182_cr00182268_al_5º – The Danish Girl

Em dois anos, Eddie Redmayne conseguiu trazer ao cinema dois papeis extramente diferentes, mas interpretados com tamanha qualidade que é impossível desvincular o ator do personagem. O primeiro foi Stephen Hawking em The Theory of Everything. O segundo foi Einer/Lili Elbe em The Danish Girl. A história da primeira transexual a sucessivamente realizar a cirurgia de mudança de sexo é tão comovente como motivadora. Impulsionado pela trilha sonora impecável de Alexandre Desplat, o filme é um dos bastiões do ano e do cinema LGBT.


4º – Anomalisamv5bmtkymzi2mzq1n15bml5banbnxkftztgwndg0mzqxnze-_v1_uy268_cr10182268_al_

Animação é coisa de criança? Acho que não. Anomalisa é uma obra de arte. É daqueles filmes que vai te deixar no fundo do poço por uma semana e não vai sair da sua mente enquanto sua sanidade permanecer intacta. A história de Michael Stone (David Thewlis) vai fazer você questionar cada relacionamento de sua vida e o próprio significado da palavra solidão.


mv5bmjexmzk5mtm1ml5bml5banbnxkftztgwnzazodgxmte-_v1_ux182_cr00182268_al_3º – Joe

Nick Cage não faz só filme ruim. Joe é o melhor exemplo disso. Nesse filme fantástico, um jovem garoto (Tye Sheridan) filho de um pai alcoólatra e violento (Gary Poulter), encontra em um ex-presidiário problemático (Cage) uma figura paterna. Daí em diante, nada acontece como esperado. Destaque vai para a atuação de Poulter, um mendigo encontrado pelo diretor David Gordon Green que o trouxe para fazer esse filme e que morreu pouco tempo depois do fim da produção. Depois de assistir Joe você vai ter certeza de que Poulter viveu, literalmente, para fazer esse filme.


2º – Captain Fantasticmv5bmje5otm0oty5nf5bml5banbnxkftztgwmdcxotq3ode-_v1_ux182_cr00182268_al_

Um pai de família (Viggo Mortensen) resolve criar seus filhos de uma forma um tanto alternativa. No entanto, após a morte de sua esposa e mãe das crianças, ele é forçado a enfrentar a sociedade e a visão que ela tem acerca de como se deve viver. Captain Fantastic é um filme feito para incomodar. Ele questiona todos os padrões da sociedade e coloca em cheque, inclusive, os sentidos da vida e da morte. Todo pai e toda mãe deveria assistir esse filme e, talvez, ter uma ideia um pouco melhor, de como criar uma criança.


mv5bmje4nzgznzewml5bml5banbnxkftztgwmtmzmde0nje-_v1_ux182_cr00182268_al_1º – Room

Room é daqueles filmes que é melhor assistir sem saber qualquer informação sobre a trama. Brie Larson e Jacob Tremblay vão te levar a uma viagem emocinante, fazendo com que você reveja o mundo de um novo modo: por meio dos olhos de uma criança. E se você não derramar uma única lágrima no processo, talvez seja a hora de fazer um daqueles testes de psicopatia.

Review – Os Quatro Grandes (Agatha Christie)

Os Quatro Grandes traz mais uma aventura de Hercule Poirot, o detetive belga maisosquatrograndes querido do mundo. Ao contrário dos casos mais introspectivos ao qual um leitor menos ávido pode estar acostumado, dessa vez Christie traz uma conspiração internacional contra a qual Poirot deve lutar. Comandada por uma associação cujo principal objetivo é dominar o mundo conhecida como “os quatro grandes”, essa conspiração parece ser o maior desafio que Poirot já enfrentou. É claro que a mente brilhante do pequeno detetive acaba se sobressaindo ao final.

Narrada sob a perspectiva de Hastings, companheiro de Poirot na trama, o romance traz consigo uma atmosfera inquietante, que vai se adensando ao passo em que os vilões parecem levar a melhor sobre Poirot em diversos momentos.

Os Quatro Grandes, talvez justamente por essa megalomania unusual de Christie, não responde tão bem à personalidade de Poirot quanto romances mais densos e simplistas como O Assassinato no Expresso Oriente, por exemplo. Ainda assim, constitui uma leitura prazerosa para os fãs de literatura policial.

Karranger’s Rating: 7 snakes in the pit

Top 10 Albuns 2016


10º: Megadeth – Dystopia

megadethdystopia

O novo album de Megadeth traz o som bastante tradicional da banda. Deve agradar aos fãs de Dave Mustaine e companhia.


 

9º: Rolling Stones – Blue and Lonesome

stonesblueandlonesome

O provável último album dos Stones é uma dessas peças raras que você deve conferir se realmente gosta de música. A pegada blues da voz de Mick Jagger é única e pavimenta o caminho para o fim da última grande banda de rock’n roll ainda em atividade.



8º: David Bowie – Blackstar

david-bowie-blackstar-2016-billboard-1000

Antes de partir, Bowie deixou um último presente para os fãs. Blackstar é sinistro de uma forma especial. Cheio de canções sobre a morte, funciona como um epitáfio para um dos maiores artistas de todos os tempos.



7º: John Legend – DARKNESS AND LIGHT

john-legend-darkness-light

John Legend se estabelece com um dos grandes artistas da atualidade com mais um bom trabalho. Seu mais recente álbum é sólido do inicio ao fim e voz de Legend soa melhor do que nunca.



6º: Kings of Leon – WALLS

walls-kol_

Com um som em parte característico e em parte inovador, WALLS traz o melhor que KOL pode oferecer. Às vezes intimista, às vezes extravagante, o quarteto parece ter encontrado estabilidade na inconsistência.



5º: Avenged Sevenfold – The Stage

e6inxnl

Ao tirar o pé do acelerador, o Avenged Sevenfold parece ter encontrado um som interessante a ser explorado. Menos elétrico que o som característico da obra, The Stage se apresenta como um álbum interessante pra quem procura coisas novas.



4º: Alter Bridge – The Last Hero

alter20bridge20-20the20last20hero20old20logo_zpsitt5joxm

Sabe aquela vontade de gritar para o resto do mundo tudo o que você está sentindo? Pois é, foi exatamente esse sentimento que Miles Kennedy e companhia conseguiram materializar em seu mais recente trabalho. Poderoso e instigante.



3º: Elton John – Wonderful Crazy Night

wonderful_crazy_night

Elton John é um daqueles artistas cujo real talento só será realmente reconhecido quando partir. Suas composições atravessaram gerações e é quase impossível não conhecer ao meno um hit do cantor. Wonderful Crazy Night traz justamente o que faz de John o que ele é: alegria misturada à qualidade técnica. Seu álbum parece o mais feliz do ano sem deixar de ser impecável.



2º: Birdy – Beautiful Lies

beautiful_lies

Birdy é mais uma das artistas da nova geração repletas de talento e que fazem o seu próprio som de qualidade. Ela parece não se encaixar em nenhum gênero musical perfeitamente, mas isso não é nenhum demérito. Beautiful Lies é um album repleto de canções pra povoar a mente e fazer com que gente cantarole-as quando menos se espera.



1º: The Astonishing – Dream Theater

220px-dreamtheatertheastonishing

Talvez seja injusto para todo o restante colocar Dream Theater nessa lista. O que eles fazem parece estar muito acima do que todo o resto. A qualidade técnica, a ousadia, tudo se mistura em algo de uma perfeição inigualável. Em The Astonishing, é contada a história de um futuro distópica/fantástico. Além de letras muito bem trabalhadas, a trupe brinca com canções que vão desde o Power Metal, passando por algo próximo ao Gospel, e chegando aos musicais da Broadway dos anos trinta. Tudo isso com uma maestria inigualável.

Top 10 Wrestling Matches 2016

10º: Hiroshi Tanahashi vs Kazuchika Okada (NJPW G1 Climax 26)


9º: Marty Scurll vs Will Ospreay (RevPro High Stakes 2016)


8º: Adam Cole, Matt Jackson, Nick Jackson vs Matt Sydal, Ricochet, Will Ospreay (PWG Battle of Los Angeles 2016)


7º: Kazuchika Okada vs Tomohiro Ishii (NJPW G1 Climax 26)


6º: Sami Zayn vs Shinsuke Nakamura (WWE NXT TakeOver: Dallas)


5º: Hirooki Goto vs Kenny Omega (NJPW G1 Climax 26)


4º: AJ Styles vs Shinsuke Nakamura (NJPW Wrestle Kingdom 10)


3º: Dash Wilder, Scott Dawson vs Johnny Gargano, Tommaso Ciampa (WWE NXT TakeOver: Toronto)


2º: Hiroshi Tanahashi vs Kazuchika Okada (NJPW Wrestle Kingdom 10)


1º: Kenny Omega vs Tetsuya Naito (NJPW G1 Climax 26)

Top 10 Professional Wrestlers 2016

Dois mil e dezesseis foi, provavelmente, o melhor ano para o pro-wrestling desde a Attitude Era. Isso se deu ao fato de a WWE ter, finalmente, abraçado aos chamados inte rnet darlings e não só conferido a eles importantes posições em seu roster como dado títulos a eles. A companhia ainda trouxe de volta a divisão cruiserweight, levou o wrestling feminino a patamares nunca antes vistos e transformou NXT na terra dos sonhos para qualquer fã moderno.

Enquanto isso, no Japão, a NJPW conseguiu segurar as pontas depois de perder seus principais talentos para a concorrente americana, criando novas estrelas e entregando aos fãs a qualidade comum à companhia. Sua parceira na terra do Tio Sam, a ROH, seguiu no ritmo de sua irmã ocidental e, apesar de não ter seu melhor ano, conseguiu se manter de pé.

Já a TNA se apoiou na brilhantia de um velho conhecido do público. A Lucha Underground entregou mais uma temporada interessante e a EVOLVE teve o seu melhor ano.

Sim, caros amigos, nunca foi tão fácil se fã de pro wrestling. Nunca houve tantas opções de qualidade e nunca foi tão difícil ranquear os melhores atletas em um ano tão cheio de talentos.

10º: Tetsuya Naito
tetsuya-naitoNaito foi um dos maiores responsáveis por manter a NJPW de pé depois da perda de alguns de seus principais talentos. O atleta de 34 anos foi capaz de, não só, se transformar de um babyface pra lá de entendiante em um dos maiores heels de todo o planeta, como formou, ao lado de BUSHI, EVIL e SANADA, o melhor stables depois do Bullet Club: Los Ingobernables del Japon. Só nesse ano, Naito foi capaz de capturar o IWGP Heavyweight Championship (reinado de 70 dias) e o IWGP Intercontinental Championship (reinado de 91 dias e contando).

9º: Adam Cole

adamcole1-1Cole talvez tenha sido o grande atleta independente de 2016. Além de anunciar sua lealdade ao Bullet Club – do qual se tornou líder, de certa forma, em sua versão americana – Cole capturou ainda capturou o ROH World Championship (reinado de 105 dias) pela segunda vez.

8º: Shinsuke Nakamura

screen-shot-2016-09-08-at-9-10-40-pmQuando deixou a NJPW no começo do ano, ainda como campeão Intercontinental (reinado de 120 dias), levou consigo desconfiança para terras americanas. Não que alguém pudesse desconfiar do japonês ou de seu talento, mas os caras responsáveis por cuidar do controle criativo na WWE têm um péssimo histórico com estrangeiros. Nakamura não só capitalizou em seu sucesso na NXT como capiturou o título principal da companhia por duas vezes (primeiro reinado de 91 dias, segundo reinado de 22 dias e contando). Além disso, Nakamura ainda ganhou um dos maiores entrance themes de todos os tempos – e essa dúvida só se faz presente por causa de Bobby Roode.

7º: Triple H

maxresdefault

“Você deve estar maluco!”, alguém deve estar pensando nesse momento. Mas, não se esqueça, caro leitor, dois mil e dezesseis foi um ano louco. Goldberg destruiu Lesnar. Gedo e Jado se tornaram campeões Junior Heavyweight de duplas na NOAH e Dick Togo desfilava seu talento nos ringues da EVOLVE há poucos dias. Ah, e não nos esqueçamos de Rhyno como campeão de duplas! Então não seria de se estranhar que um veterano figurasse nessa lista – apesar de que, como veremos mais à frente, ele não é o único. Não se esqueça também que, ainda em Janeiro, Hunter venceu seu segundo Royal Rumble e seu nono título da WWE (reinado de 70 dias). Mas foi no backstage que Hunter dominou. Ele trouxe novas estrelas pra WWE, deu oportunidade a elas e, de fato, criou uma Nova Era na terra do Tio Vince.

6º: Kevin Owens

kevin-owens-defending-the-wwe-universal-championship-against-jericho-and-rollinsOwens é um daqueles caras fora desse planeta. Você sabe que ele é talentoso, mas não acredita que ele realmente possa chegar onde chegou. KO é um daqueles caras que faz você acreditar que pode conseguir o que quiser se tiver talento. E você torce por ele por isso. O cara não só é capaz de ter uma luta fantástica com qualquer um, como também domina o microfone como poucos. Em 2016, o antes Kevin Steen chegou ao topo. Primeiro ao conquistar seu segundo título Intercontinental (reinado de 48 dias), depois ao vencer o WWE Universal Championship (reinado de 118 dias e contando).

5º: Chris Jericho

20161013_jericho_list-75d4d44ef90238963b1da1d585dc9a8bPeque um homem de 46 anos e dê a ele um cachecol. Depois dê a ele um caderno e diga que pode escrever o nome de quem quiser e chame-os de estúpidos e idiotas. Certo, essa talvez não seja a fórmula do sucesso, mas funcionou com Y2J. Depois de algumas tentativa sem sucesso, entre os tours com sua banda Fozzy, Jericho voltou mais uma vez  em 2016, mas, agora, melhor do que nunca. O talento de Chris é inegável, assim como o fato de que ele é um futuro Hall of Famer, mas a verdade é que ninguém acreditaria que ele poderia ser tão fantástico nesse ponto de sua carreira.

4º: Kenny Omega

kenny20omega20wins20g120main

Depois de DeVitt e Styles, a grande pergunta que poderia ser feita é: quem é bom o suficiente para liderar o Bullet Club. Omega respondeu a essa questão cuspindo, literalmente, na cara de seus oponentes. Hoje, Omega É O BULLET CLUB. Ao lado dos Young Bucks, forma o maior trio do mundo – foi mal, New Day. O que mais poderia ser suficiente para colocá-lo nessa lista? Que tal dois NEVER Openweight Six Man Tag Team Championships com Matt e Nick (reinados de 50 e 61 dias), um IWGP Intercontinental Championship (reinado de 126 dias) e uma vitória no torneio anual G1 Climax promovido pela NJPW e que concede uma vaga no main event de seu show no Tokyo Dome e uma chance pelo IWGP Heavyweight Championship de Okada.

3º: A Divisão Feminina Inteira da WWE

wwe2bdivas2broster

Seria injusto conferir a apenas uma figura o sucesso conquistado pelas mulheres na WWE em 2016. Essas atletas fantásticas não só trouxeram um novo significado ao termo women’s wrestling, como entregaram algumas das melhores lutas do ano. E o sucesso de Charlotte, Sasha, Becky, Bliss e demais está apenas em sua fase inicial.

2º: Matt Hardy

broken-matt-hardy-1

É, 2016 foi realmente um ano muito estranho. Você acreditaria, se eu te dissesse, em algum ponto da história, que Matt Hardy não só seria mais popular que seu irmão Jeff, mas que todo o roster da TNA também? E, quem sabe, o maior babyface do mundo? Com uma gimmick que começou pra lá de estranha – certo, não deixou de ser em nenhum momento – Matt conseguiu, com sua brilhantia, salvar a pele de Dixie Carter e impedir a falência de sua companhia, mas criar todo um novo conceito sobre o que o professional wrestling pode se tornar. Ah, e ele ainda capturou seu segundo TNA World Heavyweight Championship (ainda com sua velha gimmick, reinado de 67 dias) e o TNA World Tag Team Championship (ao lado de Jeff, reinado de 84 dias e contando) Matt Hardy é um gênio, delete o resto.

1º: AJ Styles

maxresdefault1Quando AJ deixou a NJPW, dúvidas correram pela mente dos fãs de todo o mundo. Deveria Styles sair do Japão, em seu melhor momento, e abraçar a incerteza da WWE? Bem, acho que tudo correu bem. Depois da maior estréia da história do Royal Rumble – e a melhor participação, eu arriscaria, apesar de AJ sequer ter ficado entre os finalistas – Styles partiu para uma rivalidade dos sonhos contra Chris Jericho. Mais tarde, ele enfrentaria John Cena, e nossos medos retornariam, mas não por muito tempo. AJ não só bateu o líder da Cenation, como se tornou o cara do SmackDown. Pra coroar tudo isso, ele ainda bateria Dean Ambrose pelo WWE Championship (reinado de 105 dias e contando). Agora, com a chegada de 2017, novas perguntas rondam o futuro de AJ. O que mais ele pode alcançar? Seria o céu, de fato, o limite?